Prive Contos Eróticos – Ezequiel Me Comeu na Mata

 Durante esses dias maravilhosos de férias onde descobrí as delícias do sexo, passei este mês dando e chupando todos os dias na casinha de material do casarão dos vizinhos taradinhos. Nossa! Como era gostoso levar esporrada no cu, me encontrava muito feliz em descobrir o sexo anal e de que eu gostava mesmo era de homens. No sítio da minha avó, tinha o caseiro Ezequiel, homem casado, mas que no momento estava só , pois sua mulher e filha tinham viajado para Vitória – ES , onde sua sogra se encontrava intenada e enferma. Ezequiel era um homem rude de 50 anos que fazia todos os serviços braçais do sítio e que já trabalhava lá no sítio há uns 20 anos. 
Ficávamos conversando enquanto eu ficava vendo ele cortar lenhas, onde ele dizia para eu estudar para ter um futuro mais agradável do que o dele e ríamos. Um certo dia ele me perguntou se eu queria conhecer uma cachoeira em um morro que tinha alí perto, eu aceitei e no dia seguinte fomos de bicicleta, chegando no local descemos das bicicletas e fomos andando a pé, a mata tinha um caminho cheio de pedras e percebí que a mata ía se fechando, Ezequiel falou vamos descansar um pouco e perguntei se faltava muito para chegar na cachoeira, aí que veio a surpresa. Ezequiel disse que não existia cachoeira alguma e que ele me levou alí para mostrar uma coisa, tirou de sua bolsa uma câmera pequena e deu para eu ver, o filmezinho que tinha na câmera era eu dando a bunda e chupando os vizinhos na casinha de materiais, fiquei cheio de vergonha e soando frio e sem dizer nada, Ezequiel falou para eu não ficar nervoso e disse que filmou de uma janelinha pequena da casinha e que enquanto filmava ficava tocando punheta e gozava e que gostaria de fazer comigo tudo aquilo também e que ninguém ficaria sabendo. Eu sempre tive “fantasias sexuais” com um viadinho e aquelas cenas não saem de minha cabeça, disse Ezequiel. Voce agora vai experimentar um homem maduro, um macho de verdade, estamos numa mata fechada ninguém vai saber, tire a roupa, fique peladinho para mim, disse ele. Fiz o que ele mandou e ele só tirou o calção e mandou chupá-lo. Ezequiel começou acariciar meus cabelos e começou a fuder minha boca, e gemer “UUUUUHMMMMMMMM, que delícia ! Passe a lingua bem na cabecinha dizia ele, agora chupe meu saco e ovos meu viadinho gostoso, vejo que voce gosta mesmo de pica, acho que vou te comer toda noite, voce quer? Quer ser minha mulherzinha? Chupa! Chupa! UHMMMM! Agora fica de 4, quero gozar no teu cu. Fiquei de 4, ele abriu minha bunda e foi empurrando seu pau, mandou eu rebolar e ele a socar, depois ele tirava e colocava. Sentí sua respiração ofegante e um gemido mais forte e notei que ele estava gozando dentro de mim. Depois ele tirou a pica e passou a chupar meu cu, ficou beijando meu cu como se fosse uma boca, depois me agarrou e começou a me beijar, a lamber meu pescoço, aí me entreguei todo a ele e comecei a beijá-lo também enquanto ele alisava minha bunda com suas mãos, alí me sentí como uma verdadeira mulherzinha, ficamos por umas 2 horas no mato fazendo todas as formas de sacanagens possíveis. Passei a fazer sexo com Ezequiel várias vezes, só que no meu quarto, altas horas da madrugada, onde narrarei mais tarde.


Escritor:
 passivo-depilado

Check Also

Especial – Dia da Consciência Negra – Prive Contos Eróticos – O NEGRO DO BANHEIRO DO POSTO

Olá amigos do Blog, esse é meu primeiro conto por aqui. Meu nome é Haendel , tenho 20 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *