Prive Contos Eróticos - Amor - Amigo Prive Contos Eróticos -
Home / Prive Contos Eróticos / Prive Contos Eróticos – Amor – Amigo

Prive Contos Eróticos – Amor – Amigo

O amor às vezes transforma sonhos em fantasias, medos em realidade de vida, paixão em sentimento verdadeiro.

Conheci Sandro em dezembro de 2010, através de uma colega de escola, ele muito simples, corpo magrinho, pele branca, cabelos liso caído no olho, jeito de menino e uma simplicidade de contagiar. Logo passamos a ser amigos, mas nunca pensei que uma amizade tão verdadeira fosse se transformar em uma descoberta gostosa e prazerosa para ambos.

Sempre tive muito receio, muito medo de tudo e curti cada novo instante me escondendo de mim mesmo, tentando imaginar o que as pessoas pensariam de mim, dos meus desejos e assim o medo me fez agir e ao conhecer aquele garoto parecia mágico.

Ele sempre muito atento a tudo, me fazia sorrir com suas piadas, seu olhar fixo, seu jeito lindo de se portar e suas roupas da moda, que sempre era um charme a mais.

Porem este amor estava me sufocando e esconder este desejo, alimentar esta fantasia poderia se tornar perigoso demais para mim mesmo, pois não conseguia o receber em casa sem me apaixonar por cada detalhe e movimento que ele fazia, me perdia em olhares e me fixava em seu corpo magro, seu jeito de menino e sua boca linda.

Fato este que me fez auto desafiar, pois não conseguia esconder por ele este sentimento gostoso que tanto me seduzia e talvez me iludia, pois preferia ouvir um não do que talvez desejar quem não me desejava; e assim o fiz.

Estávamos em um final de semana vendo filme no meu quarto e as escuras caídos ao chão sentados no carpete a ver um filme de comédia, riamos muito e em certo momento nos divertíamos ao mesmo tempo em que era estranho pra mim ter ele tão perto, tão ao meu lado e sentindo seu cheiro, seu corpo eu iria me acalmando ao desejo secreto.

Assim, riamos muito, pois o filme nos fazia realmente ter este sentimento de alegria, porem meu coração sentia una alegria motivada ao desejo, a vontade de ter aquele rapaz diante de mim, perto de mim.

Mas me desafiar ao sentimento se tornava prioridade, pois estava cansado de me esconder, estava cansado de viver uma falsa ilusão sexual e talvez me machucar ainda mais com um sentimento nunca tentado.

E foi desta forma em um ato normal que ficamos frente a frente, eu fiquei parado olhando diante de seus olhos, e fixado via seus lábios a me fazer sentir um prazer ao medo, logo então ficamos um olhando para o outro, como se algo pudesse ser feito, parecia que ambos esperamos uma reação do outro.

Coloquei as mãos ao seu rosto, e ouvindo o barulho do filme que passava sentia seu respirar profundo enquanto minhas mãos sentiam sua pele, seu cheiro e tocava naquele rosto liso.

Em um ato lento minha boca estava indo na direção da dele, ele estava flexionado, não se mexia apenas se deixava levar pela minha reação.

Nossos lábios se tocavam e assim eu sentia o gosto de um beijar tão desejado, onde o medo de tentar adiava a descoberta de um prazer tão normal. Sandro ela realmente lindo, não se mexia, parecia se deixar ousar, e assim correspondiam meus beijos e se deixava imaginar no gosto de dois toques.

Eu não acreditava que depois de um bom tempo desejando aquele homem o teria tão facilmente, e como realmente era gostoso aquele momento, pois seu carinho me fazia realmente a me surpreender, seu beijar forte, seu olhar fixo e seu toque que me fazia sentir um prazer nunca antes imaginado.

Éramos dois rapazes, dois jovens se entregando a uma descoberta que realmente somente imaginávamos; ambos já sem camiseta tocamos nos conhecíamos e não parávamos de se beijar, pois o gosto de seus lábios, seu cheiro, seu respirar me fazia sentir o prazer de um desejo.

Eu sentia sua pele a minha, seu corpo, seu abraço, seu carinho que tanto desejei, parecia estar sonhando com tal situação, mas era realmente uma realidade sexual.

Estávamos totalmente perdidos, onde o filme se transformava em pornográfico e a vida escrevia novos e delirantes rumos em uma amizade de um prazer comum.

Então assim ficamos pelados, totalmente juntos e se beijando, se sentindo e eu via em sua rola grossa e enorme que tanto desejei estar diante de mim, logo via seu corpo, seu jeito, seu olhar fixo e aquela boca carnuda ser totalmente minha, então em gesto de prazer, sentia eu naquele exato momento a vontade de mamar naquela pica grossa, naquela rola enorme a me fazer arrepiar de tanto desejo.

Via na minha frente aquela rola grossa linda de cabecinha rosada onde minha língua passeava lentamente e me fazia delirar diante daquilo, ele gemia com minha chapada gostosa e ousada, sentia seu gostar de tudo aquilo e me acariciar pelo cabelo enquanto sua rola era sugava pela minha boquinha.

Gemíamos junto, e eu sentia em meu corpo uma energia positiva de prazer e sexo, de gozar e gostar, de sentir e fazer estar todo arrepiado, todo sentido fazendo com que meu desejo fosse muito mais que um simples ter, um simples tocar, mas sim um desejo de corpo e mente.

Sandro não tinha apenas um belo olhar, um corpo bacana, mas tinha o que falta em muitos garotos, ele tinha ousadia, simpatia e sabia tratar sexualmente uma pessoa, seus lábios me faziam sentir o quanto um beijo transmitia um sentimento; o quanto um abraço carinhoso poderia demonstrar um afeto, nem que fosse por um momento.

Eu então tocava em sua pele, chupava sua pica, sentia seu corpo e subia em direção de seus mamilos que agora era alvo do meu beijar. Minha língua o chupava delirantemente sentindo o gosto de sua pele branquinha enquanto meu anelzinho começava a ser explorado por seus dedinhos.

Sentia agora meu rego ser massageado por seus dedinhos que ao mesmo tempo me fazia arrepiar e imaginar estar sentindo tudo aquilo de rola dentro de mim; Sandro me fazia sentir algo gostoso, um arrepiar diferente que em beijos se transformava em um sexo gostoso para ambos, logo seus dedinhos faziam um vai e vem gostoso e meu corpo ardia em chamar de um prazer muito alem do sexo.

De dedadas ardentes a uma linguada a me fazer gemer, assim de quatro o sentia lamber meu anelzinho me arrepiando de vontades, pois sua linguá navegava em minhas entranhas anais, e meu corpo era acariciado por sua mãos, de quatro estava eu, sendo chupado pelo cu pelo amigo que tanto desejei.

Era gosto sentir o malhado de sua saliva na minha bunda, o sentir esparramar seu prazer no meu cuzinho ao mesmo tempo em que dedava, eu rebolava e esfregava minha bunda na sua cara o fazendo estar totalmente louco de prazer, em dedadas e chupadas eu era contagiado pelo prazer.

Logo eu de quatro sentia a cabecinha de sua rola abrir passagem no meu anelzinho e o arrombando – era delirante e gostoso, pois ele colocava tudo aquilo dentro de mim com muito carinho, estava eu a sentir uma pica dentro do meu cu.

Gostosamente sentia cada centímetro me abria inda mais, e me fazer suar de tanta vontade e prazer sentido, era gostoso os movimentos que começava a fazer do meu corpo um objeto de prazer mutuo e em poucos momentos estava eu atolado pelo cu com a rola do meu amigo desejado.

Ele bombava delirantemente e eu sentia o movimentar e o gosto de ter dentro do meu anelzinho uma rola gostoso de um jovem lindo e gostos, ele metia forte em estocadas que alternava a lentas e fortes misturados com beijos na nuca, chupadas na orelha que me fazia sentir o quão carinhoso ele era.

Era gostoso estar naquela posição sentindo uma estaca, uma rola, uma pica grossa e gostosa a me atolar, me fazer arrepiar de tanto desejo, prazer de um sexo amigo, de um meter forte, de um abrir, afundar e ir e vir de sua rola.

Gostosamente eu era arrombado fudido e lambido por aquele garoto, era prazeroso e tanto que ficamos naquela mesma posição e assim eu o sentia gozar dentro do meu cu.

Ele ousada mente me enchia analmente com seu leitinho quentinho a me fazer gemer de tanto calor, prazer e suor.

Então meu amigo gostoso ali mesmo, naquele quarto, com a pica nas minhas entranhas gozava e me enchia de prazer, eu de quatro, sentia o gosto de porra a escorrer analmente em minhas pernas.

Gostosamente sou beijado totalmente gozado, sento todo seu carinho, seu tocar, seu olhar.

Depois deste dia descobri o quanto um amigo feito Sandro poderia me dar muito mais que uma amizade leal, mas sim respeito, carinho em um sexo sem machismo, sem medo e sim com respeito a mim e ao meu corpo.

A cada leitor se valorize não se deixe abusar por uma noite de momento, e sim se deixe amar por uma noite de prazer e amor, se cuide e fique com Deus.

-FIM –

 



Mundo Mais 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*