Home / Prive Contos Eróticos / Prive Contos Eróticos – Contos e Encontros – Primeira Vez Amor

Prive Contos Eróticos – Contos e Encontros – Primeira Vez Amor

Simon tinha 18 anos, pele branca como neve, ollhos verdes e cabelos pretos, sempre souberam de seu gosto por homens, pois nunca tentou negar isso para si mesmo, era algo bem mais forte que ele. Teve um namorado que o amou muito, mais esse morreu em um trágico acidente de carro. Simon achou que nunca encontraria alguém. Mentira…

Simon acordou atordoado, ficara com medo de atrasar-se para o seu primeiro dia de aula no Ensino Médio. Arrumou sua mochila, arrumou-se e desceu, deu um beijo no rosto da mãe e saiu em direção ao colégio que era algumas quadras dali. No caminho ele pensou, ou melhor, fez um planejamento do seu ano letivo, que era: estudar, estudar, estudar, estudar, e fazer uma amizade.
No colégio logo procurou sua sala, sentou-se no canto, na primeira carteira e todos olhavam para ele devido seu feminismo e seu estilo.
Foi então que entrou na sala um rapaz alto, de pele dourada, como os cabelos cacheados e olhos azuis e ele sorria para todo mundo, e falava com todo mundo como se conhecesse a todos, muito simpático e muito bonito; logo Simon ficou derretido por aquele sorriso e que para sua sorte o rapaz sentou-se atrás dele. Simon pode sentir o perfume dele no ar que era doce, e bom.
-Ola!!! – (Simon olhou para trás com o rosto vermelho).
-Me chamo Lucas. Dizia ele:
– Você é o Simon não e?- Simon confirmou.
-È que minha caneta esta falhando, você tem alguma para me emprestar?
Simon deu-lhe uma caneta meio tremulo.
O resto da aula foi uma tortura devido ele querer olhar o que Lucas fazia atrás dele tão calado.
E o fim do dia chegou. Simon arrumou suas coisas, e sentiu alguém bater leve no seu braço.
-Aqui esta sua caneta. Valeu!!! Disse Lucas.
-ta chovendo muito, não acha?- realmente estava o céu estava escuro, e as gotas de chuva eram grassas.
-tenho de esperar passar a chuva. Você vai embora logo? [Resmungava ele novamente e eu tinha a certeza que ele falava ate demais.]
Logo respondi.
– Vou ter que esperar também, devido há chuva esta muito forte.
Lucas esbanjou um sorriso luminoso me pegando pelo braço.
-Vem comigo, eu quero te mostrar uma coisa.
Caminharam ligeiro pelos corredores já vagos do colégio….
Desceram um lance de escadas, chegando à biblioteca, silenciosa, como uma caverna.
-Eu fico aqui quando estou só. Lucas falava alto, com a voz ecoando pelos corredores de estantes, abandonadas pelo tempo.
-Essa biblioteca foi desativa há um ano, quando um menino foi encontrado morto.
Saimon arregalou os olhos.
-To brincando cara, foi desativa por que novos livros chegaram. Você esta vermelho, tudo bem contigo?
Saimon tentou esconder o rosto. Mais Lucas foi ate ele, e, pois sua mão grande no queixo pequeno do garoto.
-Fala pra mim… -Sua voz ficou leve!.
-Eu… Eu to bem, não é nada não…
Lucas deu um leve sorriso.
-Só isso? Acha que não notei seus olhares?
-Desculpa, por favor.
-chii, tudo bem, não contarei pra ninguém meu anjo.
Lucas se aproximou de Saimon, lentamente encostou seus lábios nos do outro. O beijo envolvia desejo, algo forte que ligava os dois corpos intensamente em um misturar de desejo e descoberta.
Os corações unindo-se em uma só batida, acelerada.
Lucas tirou a camisa de Saimon, que por vez, também tirou a blusa de Lucas exibindo um corpo definido. Os beijos de Saimon desceram para o peitoril de Lucas; tirou as causa do garoto ligeiro e lambeu sua cueca branca, tirou-a com os dentes exibindo uma anaconda de 21 cm o fazendo trmer de desejo.
Simon não resiste a aquela deliciosa rola ao misto de uma beleza natural e começa chupar, era muito gostosa aquela vara grossa, deliciosa e cheirosa, e assim Saimon mamava loucamente a pica daquele novo colega de sala.
Saimon delirava com os gemidos de Lucas que ecoavam pelos corredores principalmente quando ele chupava e sugava suas bolas o fazendo delirar de prazer, o fazer gemer em um sugar de emoção.
Lucas o puxou para cima em fortes beijos e o fez delirar com o gosto de sua boca, de seus lábios e seu carinho; logoo virou de costas e beijando sua nuca enquanto abaixava suas causas e sua cueca vermelha.
Lucas beijou suas costas e foi descendo carinhosamente; separou as nádegas de Saimon que gemia baixinho e deixou o buraquinho piscante a amostra.
Lucas então começou a lamber o buraquinho o fazendo de sentir completo e delirante de prazer, Saimon achava uma delicia o enfiar da língua no seu cuzinho o fazendo se contorcer de gemer em prazer.
Lucas se, pois de pé, e apontou seu pau para o bumbum do garoto fazendo entrar lentamente cada centímetro, e com todo aquele cuidado. Saimon só sentiu prazer, nada de dor.
Era gostoso sentir uma rola grossa e grande na bunda, e assim Saimon gemia, urrava de delírio e sentia o vai e vem de prazer, de desejo e acima de tudo do carinho e do respeito pelo sexo demonstrado por Lucas.
Lucas metia fortemente em estocadas a fazer do cuzinho de nosso personagem aflorar e seu corpo sentir o tocar do sexo.
Saimon gemia muito eum choque passava pelo seu corpo o fazendo redescobrir o prazer do amar.
Lucas também gemia e seu coração acelerado que jamais sentira aquilo antes com pessoa alguma que transara; aquele garoto era diferente, aquela transa era diferente e este momento se tornava especial.
O pau de Saimon começou a liberar longos jatos de gozo a sujar o chão. Logo Lucas também começou gozar dentro do cuzinho de Saimon, que urrando de prazer sentia o entrar e empoçar de leite quente nas suas entranhas anais.
Com o cuzinho lotado de porra a escorrer pelas pernas e totalmente arrombado ele sentia ao quanto prazeroso era dar a bunda, o quão gostoso era ser comido, atolado por uma rola de macho.
Virou Saimon para frente e abraçou Lucas fortemente dizendo…
-Onde você estava todos esses anos?
-Te procurando-respondeu o garoto, sentindo o cheiro doce daqueles lábios que perto estava.
-Não posso perder você, sei que nos conhecemos hoje, mais tem algo no meu peito dizendo para não deixar você ir, nunca, nunca mais.
Lucas também exclama.
-Eu não irei, prometo.
(Saimon diz
-Pra sempre?
E Lucas responde.
-Pra sempre
Fim
************************************************************************************************************************************************
Autor: David X
Todos os Direitos Reservados.
*****************************************************************************

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*